quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Vaza avaliação contraditória de Muralha pelo Centro de Inteligência do Flamengo.



Comprado do Figueirense para disputar posição com Paulo Victor no início do ano passado, Alex Muralha foi alvo da torcida do Flamengo após a derrota para o Atlético-PR e novamente contra o Sport voltou a falhar feio.


A ascensão de Muralha na carreira é meteórica a partir do Brasileiro de 2015. Até ser contratado pelo Flamengo, o jogador de 27 anos só havia atuado por um clube na Série A - justamente pelo Figueirense no Brasileiro daquele ano, quando teve destaque e chamou a atenção no cenário nacional. Antes, jogou por clubes menores no Brasil como Mirassol-SP, Cuiabá-MT, Comercial-SP, Votoraty-SP e Olé Brasil-SP. Muralha também teve experiência no Shonan Bellmare, do Japão.


A falha no lance é discutível, como o próprio goleiro disse - até porque reclamou de falta de Eduardo da Silva na jogada -, mas a confiança que vinha das arquibancadas passa por período de instabilidade. A turbulência vem seis meses depois do jogador ser convocado pela primeira vez para a seleção brasileira - foi chamado pelo técnico Tite.
O GloboEsporte.com teve acesso a um relatório do Centro de Inteligência e Mercado do Flamengo de agosto de 2015. No documento, o jogador era avaliado com nota C+ (de 5 a 5,9), no penúltimo degrau da escala daquele monitoramento rubro-negro - mesma nota do uruguaio Martín Silva, do Vasco, de Renan, então no Goiás, e Weverton, do Atlético-PR. Abaixo por exemplo do então titular do Flamengo, Paulo Victor, que ganhou um B+ (nota de 7 a 7,9).


Contratado quatro meses depois, Muralha não estava na lista de “possibilidades” do Flamengo, identificados pelo CIM naquele relatório. Havia nomes como Rogério Ceni (com nota A), no São Paulo, Marcelo Lomba (nota B), então na Ponte, o falecido goleiro Danilo (B+), da Chapecoense, além de Walter, do Corinthians, Wilson, do Coritiba, e Danilo Fernandes, todos com nota C.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, o Flamengo informa que o relatório feito no segundo semestre era apenas "balizador" para referência de mercado e não tem semelhança com o que Centro de Inteligência e Mercado faz usualmente. Confira a íntegra abaixo:

"O Centro de Inteligência e Mercado (CIM) faz monitoramentos constantes, utilizando inúmeros indicadores de avaliação. Neste trabalho, os atletas nunca foram separados por nível, nem escala. O documento citado pela reportagem foi uma espécie de ranqueamento de todas as equipes das séries A e B, realizado no fim de 2015. No arquivo continha notas subjetivas A, B e C. Depois disso, foram feitas as fichas avaliativas dos que realmente interessavam ao clube. Portanto, o documento era um balizador apenas para se ter uma referência de mercado, e não uma avaliação propriamente dita, como o CIM realiza frequentemente. As fichas avaliativas contêm dados qualitativos, quantitativos, técnicos, táticos, físicos, histórico da carreira, dentre outros detalhes.

Sobre o Alex, foi destaque do Campeonato Brasileiro de 2015 e chegou à Seleção Brasileira em 2016, assim como o Diego e o Willian Arão, que também eram acompanhados e tiveram o aval do CIM para as contratações. Desde 2015, o Centro já avaliou/avalia mais de 500 atletas, e possui cerca de 5 mil no banco de dados."

Elogios de Tite

Muralha estreia pelo Flamengo no segundo tempo do amistoso contra o Santa Cruz, em janeiro de 2016. O primeiro jogo oficial foi disputado em 5 de março do ano passado, quando os reservas do Fla venceram o Bangu por 3 a 1 - nesta partida ele pegou um pênalti, o único até agora na sua passagem pelo time da Gávea. Levantamento recente feito pelo GloboEsporte.com coloca o goleiro do Flamengo na última posição na comparação entre 14 goleiros da Série A.

O goleiro vira titular no dia 29 de maio, na vitória por 2 a 1 sobre a Ponte Preta. A chance surge por conta de lesão de Paulo Victor na lombar. O ex-jogador do Figueirense emplaca boa sequência de atuações seguras e assume a condição de dono da posição. A primeira convocação veio em setembro do ano passado, quando Tite o chamou para os jogos contra Bolívia (5x0) e Venezuela (2x0). O treinador elogiou bastante Muralha à época.

- Ele vem fazendo um grande Campeonato Brasileiro, como já fez no Figueirense. São dois anos mantendo um padrão de atuação. Merece a convocação. A fase do Flamengo ajuda - disse Tite após convocá-lo.

No mês seguinte, voltou a fazer parte do grupo que enfrentou Argentina (3x0) e Peru (2x0). Foram três convocações para a Seleção. Nas últimas convocações para a seleção brasileira, Muralha saiu da lista de Tite para a entrada de Ederson, do Benfica. Nas últimas listas, o treinador chamou Alisson (hoje na Roma), Weverton (do Atlético-PR) e Ederson.

Fonte: Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário