quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Rueda planeja surpreendente opção em caso de ausência de Guerrero



Em menos de uma semana no comando do Flamengo, Reinaldo Rueda parece ter na manga várias opções para uma possível ausência de Paolo Guerrero.



O peruano vem tratando lesão na coxa direita e desfalcou o Rubro-Negro no jogo de ida de semifinal da Copa do Brasil diante do Botafogo.

O treinador espera seu camisa 9 na partida de volta, na Ilha do Urubu, porém tem um “plano B” já engatilhado.

Nos treinos que acompanhou o elenco antes do primeiro jogo contra o Botafogo, Rueda contou primeiramente com o jovem Felipe Vizeu para a posição. Como o suplente sofreu com cãibras, pode ser que o técnico improvise. O colombiano Orlando Berrío treinou como “falso 9” na última terça-feira, mas saiu de campo no clássico após forte entorse no tornozelo.

A assessoria do clube informou: “O atleta Berrío foi reavaliado e iniciou a fisioterapia para tratar a entorse. Segue tratamento em período integral”. Com isso o camisa 28 dificilmente jogará a partida de volta na Ilha do Urubu.

Dessa maneira, quem aparece como provável “centroavante” para o jogo contra o Atlético-GO, no próximo sábado, pelo Campeonato Brasileiro é o meia Lucas Paquetá. Após o empate com o Botafogo, o jovem de 19 anos, que ficou no banco, revelou ao FOXSports.com.br que é uma alternativa para os próximos confrontos do Rubro-Negro.

“Sim, na ausência do Guerrero eu venho treinando na frente. Improvisado, é claro. Mas eu venho trabalhando dentro de campo para onde tiver espaço eu possa jogar. Então nos treinos eu venho fazendo esse posicionamento e, no jogo, caso o Vizeu não conseguisse suportar, entraria ali na frente”, confirmou o meio-campista.

Paquetá disputou apenas 12 jogos na temporada pelo Flamengo com apenas dois gols marcados, ainda durante o Campeonato Carioca. Ele acabou perdendo espaço no grupo com as chegadas de Éverton Ribeiro e Geuvânio, isso sem contar as presenças anteriores de Diego, Conca e Mancuello.

Fonte: Torcedores.com

Emboscada para a torcida do Flamengo envolveu Organizadas de Botafogo e Vasco.



O Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe) avaliou de forma positiva a segurança no entorno e dentro do Engenhão, no confronto entre Botafogo e Flamengo, na última quarta-feira, pela semifinal da Copa do Brasil.



E garante que não vê riscos na realização da segunda partida, entre os dois clubes, na próxima quarta, no Maracanã.
- Não tivemos confronto entre torcidas no estádio. No próximo jogo, tomarecmos os mesmos procedimentos, faremos a escolta das torcidas da mesma forma - avaliou o comandante do Gepe, major Sílvio Luiz: - O principal problema que tivemos no Engenhão foi um confronto entre a Fúria e a cavalaria. Jogaram fogos e garrafas.

O maior incidente relacionado ao jogo ocorreu bem longe do estádio, em Madureira, onde integrantes da tocida Fúria, do Botafogo, fizeram uma emboscada para agredir rubro-negros. Segundo o comandante do Gepe, 49 pessoas, a maioria ligada à facção alvinegra, estão detidas na Cidade da Polícia devido à confusão.

- Por volta das duas da madrugada, houve o confronto. A Fúria, com torcedores da Força Jovem e da Ira Jovem, do Vasco, esperaram os rubro-negros em Madureira. Estavam com paus, barras de ferro e houve até disparo de arma de fogo - relatou o major, informando que um policial e um torcedor rubro-negro foram feridos.

Fonte: Marluci Martins

3 erros graves da arbitragem expõe favorecimento ao Botafogo, aliado da CBF, contra o Flamengo



A primeira partida da Semi Final da Copa do Brasil, não foi tão empolgante, o resultado de 0 x 0 frustrou boa parte dos torcedores de Botafogo e Flamengo, a decisão agora ficou para o Maracanã, sendo que o Botafogo tem a vantagem de se classificar com empate com gol.


A segunda partida está marcada para o dia 23 de agosto, as 21:45 horas, um novo empate de 0 x 0, a decisão vai para os pênaltis. Quem vencer irá para a grande final.


O ponto negativo da partida, foi a violência dos atletas botafoguenses dentro de campo, Arão e Bérrio foram vítimas das entradas maldosas de Rodrigo Pimpão, inclusive o Colombiano já está vetado pelo departamento médico rubro negro para o decisivo confronto, ou seja, prevaleceu novamente a violência, o triste disso tudo, é que há 2 semanas, o Flamengo vencia o Santos no Pacaembu por 2 x 1 no finalzinho da partida, e por muito menos, a arbitragem expulsou Rodinei, desarticulando totalmente o esquema rubro negro, consequentemente levando a virada por 3 x 2.

Anderson Daronco, era pra ter expulsado Rodrigo Pimpão, e o que falar da expulsão do goleiro Alex Muralha? Foi notório que o árbitro não quis levar somente um jogador para o chuveiro, pois o zagueiro botafoguense já tinha cartão amarelo e chutou fora do lance de disputa de bola o goleiro do Flamengo, mas inexplicavelmente o árbitro gaúcho expulsou Alex Muralha, numa disputa normal de bola, em que ocorre em todas as partidas de futebol, uma vergonha!

No primeiro tempo também houve um lance pra lá de estranho, Rodinei conseguiu chegar a tempo na bola e cruzar na área botafoguense, e o goleiro Gatito Fernandes, rebateu no pé de Bérrio que perdeu um gol pra lá de feito, mas o bandeirinha 3 segundos depois marcou saída de bola, demonstrando claramente o ato de favorecer o Botafogo, o mais incrível que foi na cara do árbitro que fica atrás do gol que nada fez pra ignorar a marcação equivocada do bandeira, uma vergonha!

Fonte: http://flamengo-noticia.blogspot.com.br/

Em 2015, o Grêmio foi excluído da Copa do Brasil por caso semelhante ao do Botafogo



Apesar de vivermos em um país miscigenado, com grande ascendência de pardos, mulatos, negros e de vários outros povos, o preconceito racial, infelizmente, ainda é algo recorrente em nossa população, e vem sendo presente também no mundo esportivo.


Na última quarta-feira (16), durante o duelo entre Flamengo e Botafogo, pela Copa do Brasil, um homem que estava na torcida alvinegra foi flagrado cometendo injúrias raciais à família de Vinicius Júnior, atacante do Fla.


Após a partida, o torcedor identificado como André Luis foi levado ao Jecrim e acabou liberado horas depois. Como pena, até então, ele não pode ir a jogos do Botafogo, mas segue em liberdade provisória.

Em 2015, também na Copa do Brasil, um grave caso de racismo foi realizado por gremistas, contra o goleiro Aranha, que atuava pelo Santos. Na ocasião, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu excluir o clube gaúcho da competição, baseando-se no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

A punição ao tricolor foi definida por votação unânime, com o placar de 5×0. Além da exclusão no campeonato, o Grêmio foi condenado a pagar R$ 50 mil, mas não chegou a perder mandos de campo.

Até então, não há indícios de que o Botafogo sofrerá punição semelhante à que foi dada ao time de Porto Alegre, sendo que o próprio presidente do time de General Severiano, Carlos Eduardo Pereira, falou sobre o caso ocorrido em 2015, se mostrando confiante.

– O Botafogo não concorda no sentido que haja qualquer paralelo no que ocorreu com o Grêmio. O CBJD indica caso a infração seja praticada simultaneamente por considerável número de pessoas, o que não ocorreu. Foi um ato isolado. Essa pessoa já está identificada e estamos bloqueando o acesso dela ao check-in. Não há preocupação. – disse o mandatário.

Em relação ao torcedor, a legislação nacional prevê dois tipos de crimes relacionados à discriminação por raça: a injúria racial, presente no artigo 140 do Código Penal, parágrafo 3º, e o racismo, previsto na Lei 7.716/1989. De acordo com o site do Conselho Nacional de Justiça, a injúria racial consiste em ofender a honra de alguém, em geral com uso de palavras depreciativas referentes à raça ou cor, e prevê pena de um a três anos de prisão, alem de multa. Já o racismo, considerado crime inafiançável e imprescritível, implica em conduta discriminatória dirigida a determinado grupo ou coletividade.

Fonte: Coluna do Flamengo

Boa jogada de Conca em treinamento do Fla anima torcedores: ‘Pega esse lançamento’



O Flamengo postou nesta quinta-feira, no Twitter, vídeos do treinamento com bola no Ninho do Urubu. E, em um deles, o meia argentino Darío Conca, que não vem tendo oportunidades, mostrou toda a sua categoria com um belíssimo lançamento de canhota. Foi o suficiente para a torcida rubro-negra se animar e pedir, em massa, que o jogador seja relacionado para o jogo contra o Atlético-GO, no fim de semana, pelo Campeonato Brasileiro.


Apresentado como reforço do Flamengo no início do ano, Conca se recuperou de uma grave lesão no joelho, mas só atuou em duas partidas na temporada (15 minutos): Contra Fluminense e Ponte Preta.


A saída de Zé Ricardo do Flamengo acendeu o último fio de esperança em Conca. O argentino, que, ao cobrar uma chance, chegou a ter áspera discussão com o ex-treinador do time, decidiu pisar no freio e segurar seu descontentamento enquanto aguarda a conversa particular que planeja ter em breve com o novo técnico, Reinaldo Rueda. Dependendo do papo, tudo pode acontecer: um novo embate e, até, o adeus definitivo. Ou, então, o mundo perfeito: sua escalação em sequência e a chance de confirmar que o joelho esquerdo está recuperado.

Fonte: Extra Globo

STJD veste a camisa e não excluirá o Bota por racismo, com o Grêmio foi diferente com eliminação da Copa do Brasil



Oficialmente, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) diz ainda avaliar o caso de injúria racial da noite da última quarta-feira (17), no Engenhão, durante o duelo entre Botafogo e Flamengo pela semifinal da Copa do Brasil. 


Nos bastidores, no entanto, a turma do tribunal já tem algumas definições em mente.

Uma delas é que a chance de uma pena máxima – perda de pontos e exclusão do Alvinegro da competição – é praticamente descartada.

Os procuradores responsáveis pela possível denúncia não enxergam a possibilidade de um gancho duro ao Botafogo.

No parágrafo 3º do artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, há a brecha para punir o clube pelo caso. "Quando a infração for considerada de extrema gravidade, o órgão judicante poderá aplicar as penas dos incisos V, VII e XI do art. 170 (perda de pontos, perda de mandos de campo ou exclusão do torneio)". Tal avaliação caberá ao STJD (órgão judicante). O tribunal, porém, descarta tal possibilidade em um primeiro momento.

Na visão dos envolvidos, o fato de tratar-se de apenas um torcedor e o mesmo já ter sido identificado e conduzido às autoridades policiais competentes ameniza o julgamento.

De acordo com os integrantes do STJD ouvidos pela reportagem, a tendência é que apenas uma multa seja aplicada ao Botafogo, sem interferência direta dentro de campo, na disputa por uma vaga na final da Copa do Brasil.

Procurado diversas vezes durante toda esta quinta-feira (17), o procurador-geral do órgão, Felipe Bevilacqua, mantém o silêncio e não irá se pronunciar antes da oficialização da denúncia.

Fonte: Uol

Jornalistas da Colômbia elogiam organização do Flamengo de Rueda



A estreia de Reinaldo Rueda no comando do Flamengo foi vista com otimismo por jornalistas da Colômbia. No dia seguinte ao empate em 0 a 0 do Rubro-Negro com o Botafogo, pela semifinal da Copa do Brasil, a segurança da equipe no Nilton Santos e o privilégio das jogadas pelas pontas chamaram atenção no exterior.


Jornalista da Rádio Caracol, Julián Capera apontou que o clássico da última quarta-feira trouxe alguns indícios de como será o Flamengo de Rueda:


- Mesmo com pouco tempo à frente do Flamengo, Reinaldo Rueda deu algumas "pinceladas" de como é seu estilo de jogo. A equipe mostrou no Nilton Santos que explorará um jogo forte pelas pontas, e caberá a Orlando Berrío ser a "chave" para sua estratégia. O atacante é um bom nome para fazer jogadas pelas laterais e, em jogos mais difíceis, surge como boa opção ao voltar para marcar - declarou, ao LANCE!.

Capera destacou outros pontos mostrados pelo Flamengo no clássico:

- Diante do Botafogo, o técnico ainda mostrou que conta com Cuéllar. Além disto,  Rueda deu mostras de que privilegia meio-campistas que vão bem tanto no combate quanto ao sair jogando.

Repórter do site "Gente, Pasión y Fútbol", Roberto Urrea indicou que a posse de bola deve ser a tônica do Flamengo sob o comando do colombiano:

- O primeiro jogo com Reinaldo Rueda mostrou um Flamengo bem mais organizado. A equipe teve segurança, buscou sempre a posse de bola e, apesar do empate, em nenhum momento sofreu uma forte ameaça do Botafogo.

Aos seus olhos, o estilo de Rueda pode render bons frutos diante da equipe que o Flamengo tem:

- Rueda tem amplas condições de impor um jogo mais lírico ao Flamengo. Além do estilo de jogo que propõe, há nomes como Cuéllar, Berrío, Diego e Everton Ribeiro que mostram qualidade de sobra.

Editor do Periódico Deportivo, Javier Chaves também crê que o Rubro-Negro tende a melhorar sob o comando do colombiano:

- Com Reinaldo Rueda, o Flamengo vai ganhar a posse de bola, sem perder sua organização defensiva. Trata-se de um treinador conservador na parte tática, e que aproveita o potencial dos jogadores. Com futebol simples e efetivo, já comprovou que pode obter grandes resultados, em especial se conta com um nome de qualidade no elenco.

Fonte: Lancenet

Postura de novo preparador físico chama atenção durante treino



Além do treinador colombiano Reinaldo Rueda, a comissão técnica do Flamengo ganhou mais dois integrantes: Bernardo Redin, ex-jogador e auxiliar técnico, e Carlos Velasco, preparador físico de confiança do novo treinador.


Durante a tarde desta quinta-feira (17), a postura de Velasco ao passar instruções e conduzir o treino dos atletas no Ninho do Urubu chamou atenção, com o preparador se mostrando bem agitado para incentivar os jogadores.


Fonte: Coluna do Flamengo

Botafoguenses vibram com violência de Pimpão em Bérrio e Arão



O duelo entre Flamengo e Botafogo, realizado na última quarta-feira (16), terminou sem alterações no placar, deixando tudo para ser decidido no duelo de volta.


Apesar dos poucos motivos para comemorar, alguns torcedores botafoguenses resolveram enaltecer o atacante Rodrigo Pimpão, por uma entrada forte em uma disputa de bola com o volante Willian Arão, que poderia ter machucado o jogador do Fla.


Além do lance com o camisa 5 rubro-negro, Pimpão também foi responsável pela falta que causou uma entorse no tornozelo de Orlando Berrío, que fez o colombiano sair da partida.

Fonte: Coluna do Flamengo

Juninho Pernambucano revolta flamenguistas por não ver diferença entre Cuéllar e Márcio Araújo



Durante a transmissão da semifinal da Copa do Brasil entre Botafogo e Flamengo, comentarista afirmou não ver diferença entre o contestado Márcio Araújo e Cuellar, titular do rubro-negro na noite de ontem.


Como nós sabemos, a torcida do Flamengo é muito fã de Colombiano Cuellar, o mesmo não podemos dizer do volante Márcio Araújo.


Vejas as manifestações dos rubros negros nas redes sociais:

Fonte: