sábado, 22 de abril de 2017

Respostas ao texto calunioso de tricolores contra o Flamengo.



Respostas ao texto "9 verdades e 1 mentira sobre o Flamengo e o Maracanã".


1. Seu vice de futebol, Flávio Godinho, participa da pioneira licitação do Maracanã, Odebrecht vence mas com a condição de que pelo menos dois clubes firmem contrato de uso de 35 anos.

Godinho não era VP do Flamengo na época do edital e não tinha qualquer relação com a gestão do clube. Além disso, a exigência de dois clubes foi atendida com Fluminense e Botafogo, que de forma surpreendente e incoerente com o termo da concessão do Engenhão que o obriga a mandar todos os jogos no vazião, assinaram contratos longos com o consórcio. O Flor ganhou um contrato dos sonhos em que não paga para jogar, que é sua realidade enquanto clube sem torcida. Já o Fagulha ganhou um empréstimo de R$ 30 milhões junto à ODB, jamais cobrado, da mesma forma que os empréstimos ao PT junto ao banco Rural na época do Mensalão. Finalmente, Maracanã vira a única opção quando a Prefeitura interdita de forma inacreditável o Engenhão e deixa o Flamengo sem alternativa.

2. A Lagardère, segunda na licitação, é desafeto do Flamengo por questões negociais que o clube entende não serem vantajosas.

A Lagardere não pode ser considerada a segunda da licitação, seu capital no Brasil é inferior ao mínimo requerido no edital. As diferenças entre Flamengo e Lagardere/BWA não são somente comerciais, são éticas.

3. O vice de futebol do Flamengo é preso e a Odebrecht expõe os podres da licitação. Flamengo diz que não há problema em manter a licitação se a CSM, sua parceira comercial, continuar junto do novo administrador.

Dentre os podres da licitação, o secretário Julio Bueno, ex-candidato a presidente do Fluminense e pai de atual vice-presidente do mesmo clube tem papel chave. Além disso, se o processo teve fraude e corrupção o correto seria fazer um novo certo? A quem interessa deixar a Odebrecht vender o consórcio depois de tanta corrupção? Quem pode defender isso além da própria? Somente quem possui contrato que lhe garante jogar sem pagar no estádio às custas de quem tem torcida e hoje possui time e dinheiro.

4. Como a Lagardère negou a CSM corno parceira, o Flamengo muda de ideia e, ao invés de defender o simples afastamento do vencedor e assunção pelo segundo colocado da licitação, passa a defender a anulação da licitação com base em um parecer do Tribunal de Contas assinado por 5 conselheiros presos por corrupção na Lava Jato

A licitação foi fraudulenta e o segundo colocado não habilitou a assumir o negócio por falta de capital próprio para isso. O Flamengo não buscou unir Lagardere e Csm, simplesmente não admite a presença da BWA, que sabemos que também já explorou o Fluminense, mas os tricolores parecem ter esquecido assim como esquecerem de pagar a série B tantas vezes.

5. Essa anulação vai fazer com que o Estado do Rio, falido, tenha que deixar de pagar salários e aposentadorias para gastar com o Maracanã até que um novo vencedor assuma uma segunda licitação.

O governo do Estado falido não precisa gastar com o Maracanã, coloque na mão do Flamengo, que já vem pagando suas contas em 2017: nós temos torcida, patrocinadores, dinheiro e a invejada e ainda pequena cota de TV que permitida encarar o que sem nós é elefante branco.

6. Quem recomenda isso ao Governador é o Dr. Leonardo Espíndola, sócio do Flamengo e Procurador do Estado, na qualidade de secretário da Casa Civil.

O pai de VP do Fluminense que anteriormente aconselhava o governador se encontra em Bangu, preso.

7. A proposta é que a nova licitação permita que apenas um clube venha a gerir o Maracanã, ao invés de uma pessoa neutra como era antes.

Não temos problema em dividir o Maracanã, mas cada um paga o seu, certo? Não tem moça nessa mesa para que alguém pague a conta do outro, ou tem?

8. Apesar de toda essa promiscuidade, o Flamengo e o Estado (quem é quem afinal?) juram que dessa vez o contrato e a licitação vão ser feitos na total lisura

Ninguém garante uma licitação limpa, no nosso país isso seria um sonho, mas alguma chance há. Certeza é que a licitação que deu o Maracanã para a construtora que roubou na obra, subornou no edital e agora quer sambar em cima do povo do Estado do Rio de Janeiro saindo por cima e com bolsos recheados de dezenas de milhões de reais.

9. A lisura vai ser garantida pelo Tribunal de Contas, cuja presidente Mariana Willeman é esposa do vice jurídico do Flamengo, Flávio Willeman.

A mulher do VP jurídico do Flamengo é a única conselheira do TCE livre, os demais foram presos. Deveria ser homenageado por não ter sido fruto do meio sujo em que conviveu. Aqui vira chacota, mas de tricolor não se espera coerência, honestidade ou honra: são a escória do futebol brasileiro.

10. Podemos todos confiar, a Globo está dizendo que isso tudo é normal e o Flamengo não se associa a nada de errado.

A Globo não paga o que o Flamengo merece, tricolor: pode arrancar a calcinha pela cabeça, temos torcida, audiência, patrocinadores e o futuro é nosso. Bom retorno à série B. Tente pagar dessa vez.

Um comentário:

  1. Ótimo texto. As tricoletes estão se depilando de tanta raiva.

    ResponderExcluir